Como lidar com seu adolescente sofrendo com obsessão por Games

Os jogos podem ser viciantes – mas obsessão é outra coisa.

O artigo a seguir destina-se aos pais de adolescentes obcecados por videogames, jogos de celular ou computador.

Reconhecer os sinais de obsessão por jogos adolescentes não é tão fácil quanto se pensa. Sempre começa como primeiro, um interesse, e então começa a crescer como um vício. O problema de identificar os estágios iniciais da obsessão por jogos começa com o adolescente. Quando nossos filhos estão com 15 anos ou mais, eles aprenderam algumas habilidades de debate bastante impressionantes. Portanto, quando questionamos suas motivações para jogos repetitivos, eles podem refutar nossas preocupações com a lógica e até mesmo fazer questão de questionar nossas próprias falhas como pais.

Uma vez que nenhum pai realmente quer admitir uma falha, às vezes podemos ceder e nos convencer de que talvez 4 horas na frente de uma tela não é tão ruim. Afinal, nós também gastamos muito tempo no computador e em nossos smartphones.

Tenha cuidado para não cair na armadilha do adolescente lógico. Os videogames podem ser viciantes e se o tempo gasto com eles não for monitorado cuidadosamente, eles consumirão tudo com o que um adolescente costumava se preocupar.

No momento em que você notar que as notas do seu filho estão caindo, falta de lição de casa ou vida social começando a cair, diminua o tempo de vídeo games pela raiz. Se você esperar muito tarde para restringir o tempo de games, pode ter que lidar com acessos de raiva a seguir (praguejando, quebrando coisas, roubando, fugindo de casa, etc.). Nesse ponto, a criança está obcecada e fará de tudo para colocar as mãos em controle

Outro sinal de obsessão é uma mudança de comportamento. Uma criança obcecada por jogos perderá a paciência com as coisas e com os outros, ficará com raiva rapidamente e reagirá às situações sem pensar totalmente nas consequências. Se você prestou atenção tais Games, notará que eles exigem esse tipo de comportamento para vencer ou avançar para um nível superior.

É lamentável, mas um adolescente obcecado por esse tipo de jogo violento está literalmente sendo treinado para reagir da maneira descrita acima. É por isso que é pertinente que, como adulto, você restrinja o acesso a este tipo de entretenimento e substitua-o por atividades que desacelere o pensamento (como arte, música, teatro, etc.) e exponha seu filho a outros prazeres não violentos (natação, dança, patinação, etc.).

Existem muitos debates circulando sobre o impacto que os videogames têm na juventude de hoje e alguns deles merecem uma atenção especial. Como mãe ou pai de um adolescente, você se sairá bem com o desejo de seu filho de “entrar no jogo“, mantendo um olhar atento para mudanças indesejáveis em seu comportamento.

 44 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *